Ir.Saint Jean – Co-Fundadora

De Apollonie Pellisier a Ir.Saint Jean: a cofundadora (02/02/1809 – 04/03/1869)  

jean_sagradoNascida em Murviel, França, numa família católica, Apollonie foi rodeada de amor e conforto. Muito cedo seus pais a enviaram para estudar interna em um colégio de Béziers, cidade próxima. Tornou-se uma linda jovem e com seu carisma e inteligência era admirada por todos, inclusive pelo jovem amigo, Eugène Cure, com quem se casou em 1831. O advogado Eugène era amigo de infância do Padre Gailhac, morando em Béziers, o casal passa a apoiar Gailhac. Com ele, partilham os seus recursos financeiros, proporcionam a ampliação dos espaços físicos para as obras do Padre Gailhac, inclusive se responsabilizam pela construção de uma capela.

No dia 02 de novembro de 1848, Eugène falece repentinamente, deixando Apollonie sem filhos. A perda do marido não a impede de abrir seu coração a Deus e, tocada por ele de forma especial, coloca para o Padre Gailhac, o seu desejo de consagrar a sua vida a Deus. Padre Gailhac a acolheu e Apollonie se tornou a Ir. Saint Jean.

A vida e obra de Padre Gailhac e de Mère Saint Jean servem como luz e inspiração para todos alqueles que, na atualidade, se esforçam por continuar a sua obra.

Apollonie nasceu em 02 de fevereiro de 1809, em Murviel, França. Ainda jovem, sofreu a perda dos pais e, desprovida dos afetos paternos, não tardou a noivar-se com o advogado e juiz de paz Dr. Eugênio Cure, com quem se casou em abril de 1831. O casal foi morar em Béziers, na França, onde Eugênio possuía um cartório. Foi lá que a senhora Cure conheceu Padre Gailhac, um dos grandes amigos de seu marido e frequentador assíduo de sua casa. Com ele, o casal partilhou seus recursos financeiros, proporcionando a ampliação dos espaços físicos para as obras de Padre Gailhac.

No dia 02 de novembro de 1848, Eugênio faleceu repentinamente, deixando Apollonie sem filhos e herdeira de todos os seus bens. Ciente da promessa que ela e o marido haviam feito, de que, se um deles faltasse, o outro consagraria sua vida a Deus, Apolônia doou todos os seus bens para as obras de Padre Gailhac, colocando-se como uma de suas colaboradoras. E, graças à união de forças entre Padre Gailhac e Mère Saint Jean, em 1849, nasceu o Instituto das Religiosas do Sagrado Coração de Maria.

4.Expansão do Instituto

O espírito missionário incentivou as Religiosas do Sagrado Coração de Maria a lançar as bases do Instituto em diversos países:

  • França – 1849
  • Irlanda – 1870
  • Portugal – 1871
  • Inglaterra 1872
  • Estados Unidos – 1877
  • Brasil – 1911
  • Espanha 1911
  • Itália – 1930
  • Países de Gales – 1939
  • Canadá – 1943
  • Colômbia – 1947
  • Moçambique – 1952
  • México – 1954
  • Zimbábue – 1956
  • Zâmbia – 1966
  • Mali – 1971
  • Escócia – 1971

Atualmente, as religiosas encontram-se nas seguintes localidades:

  • África:  Moçambique, Zâmbia, Zimbabwe e Timor Leste
  • América:  Brasil, México e Estados Unidos
  • Europa: Escócia, França, Inglaterra, Irlanda, Itália, País de Gales, Portugal.